O ninho cheio

Você já deve ter ouvido a expressão Ninho Vazio que se refere a sensação de desorientação que muitas mães sentem quando seus filhos saem de casa,seja para morar sozinho,seja em função de um casamento. Hoje quero falar do oposto,que também é bem complicado: o ninho cheio, a chegada dos filhos.

De repente você está ali com sua vida de sempre e aí de repente (não tão de repente assim,porque você teve que esperar seu filho nascer),chega aquele serumaninho lindo embrulhado em uma manta para literalmente colocar sua vida de pernas para o ar.

Depois que minha filha nasceu,há dois anos atrás,percebi que a gente se prepara para esta chegada da forma errada,comprando coisas inúteis,se preocupando com coisas fúteis,estocando medos e palpites alheios que não servem para nada.

Se eu pudesse dar um conselho as futuras mães, eu diria que 90% das coisas que você acha que serão importantes na criação do seu bebê são desnecessárias. Esqueça aquele quartinho todo decorado,aquele berço americano caríssimo. Você vai querer seu bebê do seu lado o tempo todo nos primeiros dias,então sua cama será o lar dele. Na grande maioria das vezes, o berço será só um artigo de decoração.

Esqueça a casa arrumada porque filhos e casa organizada na minha opinião não combinam. Então relaxa e vá fazendo as coisas aos poucos conforme suas forças. Pode acreditar que bagunçar sua casa é o mínimo que seu filho vai fazer, na verdade ele vai bagunçar sua vida!Ele vai te fazer rever prioridades,vai te fazer encarar a vida de outra forma,vai fazer você literalmente se perguntar quem você é e o quem você era até o dia em que ele nasceu.

O ninho cheio aumenta em 100 vezes os nossos medos e em um milhão de vezes a nossa coragem. Parece contraditório,mas você vai perceber que é capaz de fazer muito mais coisas que achava que poderia e também vai descobrir que pensamentos loucos vão habitar sua cabeça diante da menor ameaça a seu filho.

O ninho agora é cheio de incertezas, de insegurança,de culpas, mas também é cheio de amor e de descobertas.

Um dia (bem mais cedo do que você imagina),seu filho vai crescer,vai sair de casa,  e o ninho vai ficar vazio de novo, de outras expectativas, de outras sensações, de outros serumaninhos. Netos, se Deus quiser eu os terei um dia…  E assim a vida segue. Como diz aquela música que eu amo: “a vida não para…”

 

 

1111111111111111111111111

Empreendedorismo Materno- A história de Victoria Libos da Viela 43

Um tema que está sendo muito comentado nas redes sociais é o Empreendedorismo Materno. Histórias de mães que buscaram alternativas para obter uma renda e conseguir conciliar o trabalho com a criação dos filhos são inspiradoras. O Serumaninho traz hoje uma entrevista com Victoria Libos,empresária,jornalista e principalmente mãe!  Mais uma vez agradecemos a gentileza da Victoria em compartilhar sua experiência conosco.Ela é dona da Viela 43, uma estamparia para mães e filhos  e também produtora e diretora do documentário Mães de Mala e Cuia,que mostra o lado real da maternidade,bem distante do glamour das capas de revistas,que a gente já mostrou aqui no blog. Então vamos a entrevista:

Serumaninho: Como você começou no empreendedorismo?
 Victoria:Comecei a empreender quando engravidei, logo quando descobri já surgiram as primeiras preocupações sobre como trabalhar, sustentar e estar presente com minha filha. Então montei uma marca de estamparia para mães e filhos e comecei a trabalhar em casa. Depois fui me envolvendo em projetos, como o documentário sobre maternidade e agora na área de eventos e feiras materna.
Serumaninho:Você acredita que existe um preconceito com mulheres que decidem empreender,principalmente as que são mães?
Victoria:Sabemos que o preconceito com mulheres existe sim, mas com mães ele é ainda mais presente. Homens, quando questionados se possuem filhos em entrevistas ou questionários de emprego, não são afetados por que conscientemente as pessoas sabem que existe uma mulher cuidando desses filhos para que o homem possa trabalhar. Já com nós mulheres, sabemos que seremos prejudicadas pois a sociedade nos coloca como responsável por essas crianças caso elas precisem, então seremos nós que faltaremos no emprego, ou nós que deixaremos de trabalhar para estar com eles, diminuindo nossa produtividade, desempenho e etc. Essa é uma realidade e é um fator que gera o preconceito e prejudica nosso crescimento.
Serumaninho:Quais são os maiores desafios em conciliar seu negócio e a criação da sua filha?
Victoria:O maior desafio para mim é o tempo. Estou há quase três anos tentando conciliar meu trabalho e minha filha. Não priorizei meu trabalho por isso ela vai meio período para a escola, me resta apenas meio período para trabalhar e nos intervalos sempre ter uma roupa para lavar, um almoço para terminar. É muito dificil por que nós queremos assumir muitas responsabilidades e acabamos não prosperando em alguma área. Mas hoje entendo que esse é meu caminho e eu não vou abrir mão de estar presente para minha filha, essa é a minha prioridade no momento. Mas que eu também preciso estar presente pra mim mesma, dedicando tempo às coisas que me fazem feliz, como trabalho por exemplo. O desempenho ainda é baixo e poderia ter realizado muitas outras coisas se vivesse outra realidade, mas a minha é essa, e basta aceitar e continuar construindo e trilhando os caminhos.
Serumaninho: O empreendedorismo é uma boa alternativa para as mães que não querem mais trabalhar na iniciativa privada?
 Victoria:O empreendedorismo é sempre uma boa alternativa, mas eu acho que depende da realidade de cada um. Assim como eu fiz uma escolha de empreender e trabalhar em casa, o meu rendimento e até retorno financeiro ainda é mais baixo do que se eu tivesse escolhido trabalhar para uma empresa e em horário comercial. É um processo mais longo, você é responsável por todas as áreas e por fazer acontecer seu negócio e aí se você ainda divide seu tempo com as responsabilidades maternas por exemplo, o caminho é mais longo. Mas se o seu desejo for como o meu por exemplo, de estar presente com as crianças e ter um compromisso com formá-las, é uma ótima opção para também não “ser mãe” 100% do tempo.
Serumaninho: Você conta com alguma rede de apoio para alavancar sua empresa?
 
Victoria:Não conto com nenhuma rede de apoio par a empresa, mas deveria, rs.
Serumaninho:  Você produziu o  documentário Mães de Alma de Cuia. Conte um pouco sobre esta experiência:
Victoria: O doc. Mães de Alma e Cuia foi meu trabalho de Conclusão de Curso, me formei em Jornalismo. Engravidei na faculdade e encontrei meu caminho no universo materno. Gostaria de retratar um outro lado, gerar conhecimento e ao mesmo tempo acolher mulheres. Então decidi falar sobre os desafios, falar sobre aqueles dias que choramos escondidas no banheiro enquanto a criança tá batendo na porta gritando, rs.
Serumaninho: Quais são os maiores erros de mães que tentaram empreender mas não obtiveram sucesso?
Victoria:Olha, o erro das outras mães eu não conheço, mas na minha experiência eu acredito que os erros ocorram exatamente pela falta de tempo e de organização que já pontuei. São muitas tarefas, eu sou responsável por todas as áreas, e é impossível dar conta. Acredito que encontrar pessoas para trabalhar junto, dividir funções, e quando possível, fazer crescer o projeto contratando funcionários para áreas específicas, descentralizando as funções sabe? Mas isso é possível quando podemos investir financeiramente, que não foi o meu caso.
Serumaninho: Quais são as dicas para as mães que já iniciaram um negócio ou pretendem começar do zero?
Victoria: A minha dica para quem quer começar um negócio é SE ESCUTE. Tenho trabalhado todos os dias uns 5 minutos de auto conhecimento, auto reflexão, ouvir meus pensamentos e o que minha mente tem me dito que eu tenho ignorado, conhecendo e aceitando o que eu desejo fazer, para então encontrar o caminho sabe? Porquemuitas vezes somos movidas pelo momentâneo, “preciso de trabalho agora”, “preciso de dinheiro” e também precisamos sustentar, pagar contas. Mas se tivermos a oportunidade de primeiramente entender onde se quer chegar para depois criar os caminhos, eu acredito que seja o diferencial. Estou nesse processo, de mentalizar onde quero estar e o que quero estar fazendo em dez anos, silenciando minhas inquietações momentâneas, pensando a longo prazo, e aí trilhar estrategias e táticas para chegar lá. Esse é o começo!! A partir daí você cria os objetivos (por exemplo: colocar o filho na escola, criar um nome para a empresa, fazer cursos de empreendedorismo, criar uma fanpage, e por aí vai…) esses são possíveis caminhos, mas antes disso, é preciso focar no objetivo e destino final!! 
download (1)
Conheça a Viela 43 Clicando Aqui
11111111111111

As maiores vantagens e desvantagens de ser uma mãe online

Sou uma mãe online não há como negar. Passo o dia todo conectada as redes sociais ou aplicativos de celular. Posso dizer que a internet se tornou a minha janela para o mundo principalmente depois de eu parei de trabalhar fora. Listo aqui as maiores vantagens e desvantagens de ser mãe na era da internet:

 

Vantagens:

Não me sentir tão sozinha- Eu não acho que a internet separa as pessoas,pelo contrário eu acredito que pode ajudar a unir. Passo praticamente o dia todo sozinha com minha filha de 2 anos em um apartamento,morando longe da família e amigos. Se não fosse a internet eu já teria enlouquecido. É através dela que eu fico sabendo o que se passa no mundo e através dela que eu me conecto aos meus amigos. Aliás,fiz amizade com várias mães que eu só conheço pela rede,mas que parece que são minhas amigas de infância. Não as conheço pessoalmente e provavelmente nem vou conhecer,mas já considero demais. E te dou um aviso: você ainda vai participar de um grupo de mães no Whatzapp ou Facebook.

Trocar informações relevantes– Através da internet eu posso escrever este blog e compartilhar minhas experiências com muitas outras mães e também trocar informações. Existem milhares de blogs e sites que abordam o tema maternidade e isto é muito bom!

Meus amigos mais chegados e parentes podem acompanhar o crescimento da minha filha mesmo de longe- Quando dá aquela saudade dos meus sobrinhos que moram longe eu vou lá e vejo aquela foto e isto me traz muita alegria. Da mesma forma,os tios da Helena que moram longe podem acompanhar o crescimento dela. Claro que nada se compara a presença física,ao cheiro,ao toque,mas já dá para amenizar a saudade.

Desvantagens

Comparações– Um dos maiores vilões da internet para mim é ficar comparando sua vida com a das outras pessoas. Sabe aquela hora em que você vai no Instagram e vê que a pessoa que você segue postou aquele pratinho do filho todo saudável e bonito,enquanto você hoje só deu conta de fazer uma arroz com feijão,carne e uma cenourinha ralada para sentir menos culpa? Então! Antes a vida das pessoas ficava entre quatro paredes,agora ela é exposta o tempo todo. Você é bombardeada por fotos de mães perfeitas e se sente uma porcaria de mãe muitas vezes. Este lado cruel da internet me fez querer abandonar as redes sociais várias vezes,mas ainda não consegui.

Excesso de informações– Sabe aquela mania de buscar tudo no google? O filho espirra e lá vai a gente dar uma olhada para ver se é normal. E aí vem um monte de neurose na cabeça!Quem nunca? O excesso de informações na internet pode nos levar a  loucura em segundos e até ser perigoso. Vejo em grupos de mães pessoas prescrevendo até mesmo remédios sem serem habilitadas para isto. A diferença entre o veneno e o remédio é a dose,já diz o ditado. É muito bom poder ter acesso a informação,mas é preciso ligar o filtro do bom senso sempre.

Excesso de exposição– Já fui muito mais exibicionista nas redes,postava muitas fotos da minha filha e acontecimentos do meu dia a dia. Mas aí eu me peguei pensando: minha filha não tem noção do quanto ela é exposta. Será que ela ia querer isto? Eu ainda publico umas foto dela vez ou outra,mas faço isto com muito menos frequência hoje. A tentação de ver as pessoas elogiando sua cria é muito grande,mas precisa ser vencida. elogio bom é elogio olho no olho.

Bom,estas foram minhas vantagens e desvantagens de ser uma mãe online. E as suas? Conta ai!! ♥

tree-200795_960_720

Geralt Altmann

 

 

 

 

 

 

 

1111111111111111111111111

Projeto Mamãe Empreendedora ♥♥

Você é uma mamãe empreendedora? Venha fazer parte de uma rede e compartilhar e divulgar seu negócio. Quanto mais mamães participando,melhor será! Vamos abrir espaço aqui no blog para divulgar diferentes histórias de mães que aceitaram o desafio de empreender e enfrentar  essa barra que é cuidar de um negócio enquanto trocam fraldas. Para participar é muito fácil:entre em contato conosco contando sua história. A partir daí vamos criar sua divulgação aqui no blog e compartilhar com o máximo de pessoas possível. Não paga nada menina!Quanto mais pessoas conhecerem seu negócio,melhor será!

Podem participar mamães de todo o Brasil!Vamos Lá!!? Espero vocês!

 

 

Você é uma mamãe empreendedora

 

 

1111111111111111111111111

 

 

Documentário Mães de Alma e Cuia! Vale muito a pena assistir.

Sabe aquele lado B da maternidade que quase ninguém fala sobre ele? Então,hoje venho indicar um documentário muito interessante que aborda este assunto protagonizado por quem mais entende dele: as próprias mães, mulheres comuns que muitas vezes não tem com quem dividir suas angústias maternas. O documentário Mães de Alma e Cuia é daqueles de você assistir e se identificar nas falas,se comover com pessoas que você não conhece,mas passam exatamente pelo que você passa todos os dias na luta muitas vezes solitária para não surtar neste universo materno que não é um mar de rosas. Produzido por Victoria Libos o documentário é definido como: “uma reunião de depoimentos da maternidade real. Histórias que contrapõem-se ao modelo poético que nos é vendido. Victoria Libos é microempresária,mãe e estudante de Comunicação Social na Unopar.

Assistam, vale muito a pena e se não for pedir demais, comentem o que acharam! ♥♥♥

Beijo!

1111111111111111111111111

5 conselhos inúteis que recebi e 5 conselhos que eu darei aos meus filhos

Engraçado como as pessoas gostam de dar conselhos,mesmo quando não pedimos. Eu andei pensando em alguns conselhos inúteis que eu não pretendo repassar para meus filhos.

Você precisa fazer uma faculdade– Não,você não precisa fazer uma faculdade. Você só fará uma faculdade se realmente quiser e se a profissão que você escolher for aquela que te faça feliz. Mas se mesmo assim o fizer e se arrepender,não tem problema. O profissional mais infeliz é aquele que trabalha só por obrigação. Então,entre aquilo que traz mais dinheiro e que aquilo que você gosta, escolha a segunda opção.Diploma não traz felicidade. Posso garantir. E não precisa escolher aos 17,não se preocupe se chegar nesta idade e não souber o que quer fazer da vida. Eu já passei dos 30 e estou tentando descobrindo até hoje.

Faça dieta- Não,não faça dieta. Dieta não serve para nada,além de te frustrar e te deixar faminto. Mude a forma como você se alimenta,faça opção por alimentos mais saudáveis. Acredite,isto fará toda diferença na sua vida.

Já está na hora de tomar juízo– O que é tomar juízo? É deixar de levar a vida de forma mais leve e divertida? É fazer as coisas só por obrigação?Então não tome juízo nunca, mas seja feliz sempre!

Você pode ter tudo que quiser,basta acreditar– Não,você não poderá ter tudo que quiser e ficará frustrado muitas vezes por conta disto. Em compensação você pode ser feliz com muito menos coisas que você acha que precisa ou que tentam fazer você achar que precisa.

Você não tem idade mais para isto- Quando é que a gente para de sonhar?Quando a gente para de respirar. Então se você está a fim de fazer algo e isto não vai prejudicar as outras pessoas,faça. Mesmo que pareça ridículo aos olhos dos outros. Sabe aquela cama elástica de festa de aniversário? Está a fim de pular? Vai lá!!!! Se joga!!!!!!!! Sem medo de ser feliz!

trampoline-796219_960_720

Petra Osterreich

meu perfil

O que me faz feliz! Tag sobte felicidade

5. Uma comida que te deixa feliz

A Yuka do  do Viver sem Pressa me convidou para responder uma TAG sobre felicidade. 😍

Então vamos lá:

1. O que você gosta de fazer quando está sozinha?

Gosto de ver vídeos no You Tube,geralmente é nostalgia com coisas da minha infância ou vídeos relacionados a maternidade. Gosto também de assistir filmes,sou louca por cinema. Gosto de orar e falar sozinha (eu falo muito sozinha,rsrsrsrs),escrever para o blog.

2. O que você gosta de fazer junto com outras pessoas (amigos, família ou namorado)?

Gosto de conversar,de ver TV. Quando eu tenho a possibilidade de ir a igreja eu gosto de cantar!

3. Pequenas coisas que te faziam feliz na sua infância

Assistir todos os programas na TV (Xou da Xuxa,Mara Maravilha,Sérgio Malandro),comer pão com creme,brincar com meus irmãos e meus primos.

4. Uma coisa que te deixou feliz essa semana

Ver a minha filha feliz na companhia de outras crianças,os primos que moram no interior vieram  nos visitar.

5. Uma comida que te deixa feliz

Qualquer uma que não seja feita por mim,rsrsrs ou tudo que  minha mãe faz de preferência farofa!

6. Cite 3 coisas que te deixam muito feliz

– Estar com as pessoas que eu gosto. Minha filha e eu passamos a semana praticamente sozinhas,então quando tenho a possibilidade de sair com ela para a casa da minha mãe por exemplo é muito bom!

– Assistir meus filmes preferidos numa boa como por exemplo Labirinto do Fauno que eu já assisti muitas vezes e esta semana vi de novo. kkkk

– Ver que meu marido finalmente está aceitando a ideia de termos outro bebê.Meu sonho é Helena ganhar um irmão.

7. Complete: Felicidade é…

… Estar com as pessoas que a gente ama!!!!!!!!!!!

8. Convide 3 pessoas para responder essa TAG

joydaviz do Feito Bailarina

Kelly Cristina do Kelly Perfume

Pitaquinha doPitacos e Achados

 

 

Karen Arnold

Karen Arnold

 

 

 

 

1111111111111111111111111