O tabu da amamentação

Olá!

Passeando hoje pelas redes sociais me deparo com uma notícia: “Rafa Brites anuncia fim da amamentação do filho”.  Fui logo ver o que estava acontecendo. A moça,que para quem não sabe é repórter da TV Globo, atualmente  está no Video Show, é casada com o Felipe Andreoli (ex CQC) foi mãe recentemente. Seu filhinho Rocco acaba de completar seis meses.

Rafa fez um desabafo em seu Instagram afirmando que não iria mais amamentar o filho e que nestes seis meses em que aguentou firme foram vários problemas que ela teve entre mastites e outras coisas que a faziam chorar não de emoção,mas de dor mesmo. Ela ainda comentou sobre o constante apelo para a amamentação sem levar em conta o sofrimento de muitas mães que não podem fazê-lo.

Ao ler o desabafo dela, eu lembrei de Fernanda Gentil,que postou em seu Facebook  uma foto dando mamadeira ao filho recém nascido,afirmando que não conseguiu amamentá-lo. Foi um depoimento corajoso e emocionante sobretudo em uma sociedade que não tolera a chamada indústria do leite artificial e demoniza a mamadeira e as fórmulas infantis.

Não acredito que uma mãe deixe de amamentar seu filho pelo menos nos primeiros 6 meses por vontade própria e tenho certeza de que o que ela não precisa no momento são críticas e julgamentos de outras pessoas,sobretudo de outras mães que um dia podem passar pelo mesmo problema. Não é nada fácil ver e escutar o tempo todo que amamentar é amor,que amamentar é vínculo e que leite artificial é uma criação da indústria para ganhar dinheiro. Leite artificial salva vidas e o vínculo entre mãe e filho é muito mais que peito.

Estimular a amamentação é importante, mas a gente não pode ser extremista. Algumas são quase talibãs quando o assunto é este. Espero que nunca precisem oferecer uma mamadeira para o filho. Pimenta nos olhos dos outros é refresco amiga e cuidado para não cuspir para cima.  Ao ver o relato de uma mãe que quase perdeu o filho por ter sido encorajada a não parar de amamentar mesmo seu leite sendo insuficiente (existe pouco leite sim,leite seca,não é mito), eu me pergunto onde vocês estavam e o que diriam a ela.Vocês pregam o amor pela amamentação,então sejam amorosas com quem não amamentou. Eu lhes peço.  Veja a reportagem aqui: Clique aqui

Quando precisei dar fórmula para minha filha, não achei praticamente nada na internet falando sobre o assunto! Falar de mamadeira ainda é tabu. Não podemos falar disto porque desestimula a amamentação. Mas eu quero falar disto sim. Estou aqui para tirar qualquer dúvida que uma mãe que passa por isto tenha. Quero oferecer meu conforto e minha empatia e não mandar que ela procure um banco de leite ou dizer frases de efeito como: Peito é fábrica e não depósito (ouvi isto e achei horrível). Até mesmo os textos que supostamente querem dar apoio a quem não amamentou,trazem em si vários preconceitos e julgamentos. No próximo você consegue,você não conseguiu porque não teve apoio,não tentou o suficiente. Não,talvez não tenha sido nada disto. Talvez simplesmente o seu peito não quis produzir leite e ponto final. Acontece.

 A jornalista e apresentadora Fernanda Gentil disse uma frase que ecoava na minha cabeça todas as vezes em que eu me sentia culpada por ter que oferecer a mamadeira para a minha filha: “O amor que bate no peito,bate na mamadeira”.

E assim prossigo hoje, agora sem traumas. Fiz o melhor para minha filha. Ela foi alimentada com leite e com amor. Isto é o que importa. ♥♥♥

 

1111

20-1-758x512 (1)

 

Relato completo de Fernanda Gentil:

“Eu achei que amamentar fosse tão automático quanto ser mãe: se quando nasce um filho, nasce uma mãe, então essa mãe vai amamentar. Não necessariamente. Não se tiver mamilos invertidos, prótese, redução de mama, se sentir muita dor, se o leite não descer ou se secar – e o meu secou. Para uma mãe que sempre sonhou em viver o momento mágico-de-filme do filho mamando no peito, do olho no olho, da mãozinha segurando o nosso dedo, a notícia da mamadeira cai como uma bomba. Chorei, me julguei e repassei a gravidez inteira na minha cabeça tentando descobrir onde errei – se foi o chocolate que comi, a noite que não dormi ou aquela escada que subi. O meu sofrimento durou até eu dar a primeira mamadeira. Foi quando descobri duas coisas: eles também olham no nosso olho e a mãozinha também segura o nosso dedo quando mamam na ‘dedêra’. Descobri que esse é um assunto polêmico e não estou aqui para polemizar. Se eu posso usar minha imagem para ajudar minimamente que seja, escrevo por isso – principalmente para mulheres na mesma situação que eu. E se você é uma delas, aí vai a minha terceira e melhor descoberta: o amor que bate no peito, bate também na mamadeira”, escreveu ela.

 Não custa nada dizer nosso mantra materno:Não deixe ninguém te julgar. Ninguém sabe suas lutas e dores diárias.

Beijinhos. ♥

Sobre brinquedos de meninas e meninos.

Umas das minhas recordações de infância eram as brincadeiras com meus primos. Sou de uma safra em que nasceram muitos meninos na família e eu fui a exceção,rsrsrs. Estava sempre rodeada deles e brincávamos juntos. Mas naquela época,década de 80,existia uma diferença bem mais acentuada do que era considerado brincadeira de menino e de menina. Uma vez uma tia me pegou brincando de carrinho e me recriminou. Lembro até hoje da minha decepção.

Hoje as coisas estão muito mais amenas,mas mesmo assim me pego lendo discussões acaloradas nas redes sociais sobre uma questão que deveria interessar apenas as crianças porque elas sim escolhem seus brinquedos. E elas podem brincar de tudo. Mas os adultos precisam interferir e vir com suas bandeiras e ideologias disfarçadas de liberdade. É  a  ideologia do brinquedo. Hoje em dia tem uma para tudo.

Viu o filho brincando junto com a irmã de casinha? Pronto,lá vai o povo comprar uma boneca para o garoto e postar um textão no face dizendo o quanto está contribuindo pelo fim da cultura machista. Meu filho brinca de boneca,meu filho será um ótimo pai. O problema está resolvido. Vamos dar bonecas aos meninos então.  Minha filha brinca de carrinho,logo não será “apenas” uma dona de casa. Sério mesmo?

Outro dia uma mãe comentou no face que havia comprado panelinhas para o filho,mas que não havia cor neutra,só rosa. E qual o problema de ser rosa? São panelinhas,podem ser de qualquer rosa. Mas o fato é que as pessoas são empoderadas (eita palavra que ninguém sabe o que é,mas adora usar) mas” pero no mucho”. A mesma sociedade que que se mete na brincadeira das crianças,apoia o trabalho infantil. Fico perplexa ao ver os comentários  em uma página de luta pelo fim do trabalho infantil que sigo. A maioria defendendo a continuação deste crime. Hipocrisia pura!

Minha filha brinca de tudo. De boneca,de carrinho,de panelinha de mentira,de pegar minhas panelas de verdade,de faz de conta,de desenhar,de cuidar do bebê,de bola. Ela veste rosa,azul,eu a chamo de princesa e ela tem roupa de princesa. Se um dia eu tiver um menino e ele brincar de boneca com a irmã,ok. Mas não vou comprar uma boneca para ele e nem vesti-lo de rosa. E porque não?Porque eu não quero. Simples assim. Vamos  ensiná-lo a respeitar as mulheres de outra forma: sendo exemplo.

Não estou aqui dizendo que o brincar não ensina. É claro que ele ensina. Futura Pedagoga que sou,eu sei bem disto. Mas eu também sou mãe e em nome das crianças eu digo: Deixem que elas brinquem em paz. Sem doutrinação,sem ideologias disfarçadas de discurso de liberdade.

 E quando a correria do dia a dia permitir, vamos sentar e brincar junto. ♥♥

criancas-brinquedo-cobranca-prateleira_1306-284

Bem vinda serumaninha Rebecca!

É com muita alegria que anunciamos a chegada de mais uma serumaninha linda: Rebecca,filha da Pri Martins,nossa mamãe,mulher maravilha que escreve pra gente aqui no Fala Prii (estamos com saudades garota). Rebecca chegou no dia 12/08 ás 16:20 horas para trazer ainda mais alegria para toda a família. Desejamos toda a sorte de bênçãos para ela!E não custa nada dizer que a Pri é mãe de mais 3 serumaninhos lindos, Victor, Nicolle e Alinne. E não custa dizer que ela NÃO PENSA EM FECHAR A FÁBRICA. Tá mais que certa Pri! hehe

Bem vinda serumaninha

Super suco da Helena

Olá!

Minha filhota nunca foi muito fã de suco natural e já aconteceu de eu fazer aquele suquinho maravilhoso e ela só dar uma bicadinha,rsrsrsrs. Mas mesmo assim eu fui insistindo e hoje ela aceita bem melhor e ás vezes me surpreende tomando tudinho.  A misturinha que eu fiz para ela hoje é poderosa: laranja,mamão e beterraba.

Vamos a receitinha? É tão fácil que dá até medo,rsrsrsrsrs

suco

 

Benefícios do suco:

Laranja: Ácido fólico,cálcio,potássio,magnésio,fósforo,ferro e muita fibra. Recomenda-se dar uma laranja a criança de sobremesa para potencializar a absorção de ferro dos alimentos.  Contém vitamina C também,claro. Uma maravilha.

Mamão: Anti-inflamatório,antioxidante,laxante e diurético. Para o intestino preguiçoso da Helena funciona que é uma beleza.

Beterraba: Cheia de vitaminas e minerais. Contém potássio,magnésio,ferro,ácido fólico,zinco… Enfim… uma beleza!

Lembrando que não sou nutricionista,apenas uma mamãe curiosa. Espero que gostem e façam muitos sucos poderosos para seus filhotes. Ah,e se não quiser colocar açúcar pode também,eu coloco bem pouquinho mesmo.

 

Beijinhos!

Envelhecer não significa amadurecer

É incrível como o passar do tempo e a chegada da idade adulta não nos torna necessariamente menos infantis   e mais compreensivos com as dificuldades alheias. Existem pessoas que tem muita dificuldade de amadurecer e outras que simplesmente nunca amadurecem,elas simplesmente apodrecem no pé.

No mundo materno,estou cansada de ver mães que possuem uma grande experiência,já criaram seus filhos,já possuem até netos,se comportarem sem um mínimo de sabedoria. Logo elas que deveriam ser nossos exemplos,nosso apoio em dias difíceis. Elas que já passaram por tudo que nós passamos. Mas na realidade,isto não acontece quase sempre.

Estou passando pelo complicado momento do desfralde da minha filha. Até agora consegui pequenos progressos,mas eu não estou com pressa. Estes dias ouvi de uma mamãe que tem um canal no You Tube uma verdade confortante: Toda criança (a não ser por um problema de saúde) vai largar as fraldas! Pode ficar tranquila mamãe, a própria natureza vai se encarregar disto!

E cá estou eu no conforto do meu lar, explicando para a minha filha, limpando xixis no chão. Enfim…. eu estou batalhando,dando uma forcinha para a natureza. Vai que cola. Neste momento chega a voz da experiência,alguém que me cobra este desfralde desde que minha filha tinha 2 anos (tentei e não deu certo). Ela sabe que eu estou tentando novamente agora. Estava tudo bem, a gente conversando até que a pessoa vira e fala:

” Sabe o filho da fulana (sempre ele!).  Imagina que ele já está fazendo xixi e cocô no banheiro. Ele pede e tudo”.O filho da fulana em questão é um garoto três meses mais novo que minha filha. Neste momento eu respiro fundo e repito mentalmente o meu mantra: NÃO VOU COMPARAR MINHA FILHA COM NINGUÉM. CADA CRIANÇA TEM SEU TEMPO. ELA VAI CONSEGUIR. NÃO VOU COMPARAR MINHA FILHA COM NINGUÉM.

Eu só consigo responder verbalmente enquanto recolho a roupa do varal : ” É né, mas com meninos é mais fácil”.

Eu não sei de onde tirei isto! Não é mais fácil! Nunca é! Me desculpem mães de meninos. Sei que vocês estão na luta também.Mas naquele momento foi a única coisa que eu consegui dizer.

O que leva uma pessoa a dizer aquilo para uma mamãe que passa pela luta do desfralde do filho? Acho que é uma mistura de imaturidade (apesar da idade avançada) com maldade mesmo. Em vez disto, porque não perguntou se eu queria uma dica infalível que usou com os filhos? Porque não contou que passou perrengue,que quis desistir? Que achou que não conseguiria?

 Mesmo repetindo o meu mantra,aquilo conseguiu me desestabilizar. Mas foi só um segundo. Volto a me concentrar no que é mais importante: na minha linda serumaninha. Vamos filha,é mais um dia!Você vai conseguir. Força na peruca!

 

orange-2316667_960_720

Baby Alive. Você ainda vai ter uma. Será?

A Baby Alive da minha época

A Baby Alive da minha época

A primeira vez em que fiquei sabendo da existência da boneca Baby Alive foi em 2014,quando estava grávida da Helena. Uma colega de trabalho disse que havia comprado uma boneca para a filha que custou R$ 300. Eu,que na época estava por fora do mundo das bonecas, achei exagero e cheguei até a pensar que ela estivesse superfaturando o preço (sabe de nada inocente!). Passados 3 anos,eu não só sei que existem bonecas mais caras que isto e também começo a entender o fascínio que estas benditas causam nas crianças apesar de achá-las muito feinhas.

Minha filha ainda não tem uma, mas não vou dizer que nunca vou comprar. Aprendi que em matéria de maternagem a palavra nunca é meio perigosa. Mas por enquanto ela não liga se a boneca é de grife ou não. Sim,porque hoje e sempre existiram os brinquedos de grife. Aqueles que de tempos em tempos deixam as crianças e os pais malucos por motivos diferentes é claro.

Quando eu era criança,nas distantes décadas de 80 e 90, o sonho de consumo de muitas meninas era a Bolinha de Sabão. ” Sentada na janela de caneca e canudinho…”. Se você leu esta frase cantando é porque  já está ficando vintage,hehe. Eu achava legal,mas sempre preferi as bonecas mais simples,daquelas que a gente podia jogar embaixo d’água,lavar o cabelo. Enfim,eu não era muito fã de brinquedo que eu teria que tomar cuidado para não estragar! kkkk

Mas voltando ao assunto da tal Baby Alive,eu passei a assistir junto com minha filha, uns vídeos no You Tube (ela ama!) e comecei a me apegar a estas bonecas. Elas comem,engatinham,falam,choram. Você encontra vídeos que ensinam a fazer papinha (com creme de cabelo!!!!!) e pode comprar infinitos acessórios como fraldinhas que custam mais que um pacote de fraldas de verdade. Em um dos vídeos, a mãe de uma menina de uns 4 aninhos, comprou cerca de R$ 100 de acessórios para a boneca da filha. Detalhe: eram coisas de bebê de verdade. Desde touquinhas até lenço umedecido. Sem contar as festinhas com direito a bolo, lembrancinhas,docinhos,decoração. E tudo de verdade,nada imaginário.

Neste momento,minha simpatia por esta boneca começou a diminuir e apareceu em mim, a preocupação de não tentar amenizar minhas frustrações infantis comprando coisas para minha filha. Quem está brincando ali? A mãe ou a filha?Será que gastar creme de cabelo a toa,lenço umedecido ,pagar R$ 22 reais em 6 fraldas ou até mesmo dar comida de verdade para uma boneca é uma boa ideia?

 

A indústria de brinquedos não é boba!Criam a boneca e também uma infinidade de acessórios! É assim que eles trabalham. E o perigo de cair nesta jogada é muito grande. Eu vou escapando enquanto posso! Resta saber até quando…

 

 

Beijinhos. ♥

 

 

 

1111111111111111111111111

#Lookinhos da Helena

Oi pessoal!

Resolvi criar uma nova Tag no blog: Lookinhos da Helena para mostrar algumas combinações que eu gosto de vestir nela. Só para adiantar,não estou fazendo propaganda de nenhuma marca,inclusive vou postar umas roupinhas de lojinhas mais em conta que eu adoro!!!

Para começar escolhi este vestido da Alphabeto (super amo esta marca) e sapatinhos da Kidy que são muito lindos. As estampas da Alphabeto são muito delicadas e ao mesmo tempo diferentes. Criança com carinha de criança,assim que gosto de vestir minha menina.

E aí gostaram? Qual look gostariam de ver aqui?

 

Site das marcas:

Alphabeto

Kidy

 

 

Beijinhos. ♥